sexta-feira, 15 de abril de 2011

Pesquisas de Paixão Cortes preservaram tradições gaúchas


O Programa o Globo Rural iniciou, dia 10/04/2011, uma série de duas reportagens, realizadas pelo premiado jornalista José Hamilton Ribeiro, na qual conta um pouco da história do pesquisador Paixão Côrtes e mostra a trajetória do CTG, de como ele foi espalhado pelo Brasil e já está localizado em mais 12 países pelo mundo.A reportagem final, a ser apresentada dia 17/04/2011, conta sobre o funcionamento do Centro de Tradições Gaúchas. mostra a origem e funcionamento desse movimento.
Foto Zulema Paixão
As músicas, danças e outras tradições preservadas nos CTGs eram praticamente desconhecidas quando o movimento se iniciou. A recuperação delas foi trabalho de pouca gente e, nele, Paixão Cortes teve um destaque especial.

Conciliando seu trabalho de agrônomo com o de pesquisador de folclore, ele saiu pelo interior do Rio Grande do Sul atrás de pessoas idosas que lhe revelassem o modo antigo de vida dos gaúchos.

Assim, em tempos nos quais não havia grande valorização da cultura típica rio-grandense, ele se preocupou em viajar pelo seu estado para recolher parte de suas tradições, tais como letras de música e danças. Com isso, Paixão Côrtes reuniu um acervo de centenas de fitas gravadas, filmes super 8 e gravações em vídeo. Tudo isso é mantido por ele em sua própria casa.



Parte da reportagem pode ser apreciada no acesso abaixo

http://g1.globo.com/videos/economia/globo-rural/v/pesquisas-de-paixao-cortes-estabeleceram-preservacao-das-tradicoes-gauchas/1480806/

Destaca-se que o programa teve uma repercussão significativa, recebendo, o folclorista, várias manifestações de apreço dos mais diversos segmentos da sociedade.

As reportagens completas estão reproduzidas no Youtube.





5 comentários:

  1. Olá, Paixão!
    Assisti o programa e gostei demais.
    Acompanho desde o início o teu trabalho de pesquisa nas danças. Minha filha participou ativamente deste trabalho aqui na minha cidade,
    junto ao CTG Farroupilha-FURG Rio Grande.
    Parabens pela vitória de ser reconhecido em todo o país e no exterior.
    Neuza

    ResponderExcluir
  2. Sou de Santa Vitória do Palmar e deixo aqui o meu mais profundo respeito e admiração por seu trabalho.
    Criando e mantendo unido, gerações, um povo em torno de um ideal.
    http://jovenstradicionalistas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. oi paixão cortes vi a sua reportagem e amei nossa nunca pensei que a nossa cultura era tão linda tenho o maior respeito e admiração por vocÊ um grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá,sou membro do Diretório Central de Estudantes da Universidade Federal de Pelotas (DCE-UFPel) e gostaríamos muito de ter um espaço de diálogo com Paixão Côrtes. Atualmente temos muitos colegas oriundos de outros estados e ninguém melhor que o Paixão para apresentar nosso tradicionalismo. Como poderíamos efetivar isso? O local será a Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel da UFPel. Deixo meu contato molina.quimica@gmail.com, 53 84128565. Aguardo. Obrigado.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo riquíssimo trabalho divulgado pela nossa honrosa diversidade cultural gaudéria, campesina e lida campeira.
    Paixão e P. Filho. Sou gaucho, nascido na serra e trabalhei alguns anos em alegrete, quando fui servir ao Exercito. Por lá sentei praça e sou militar ha 27 anos. Comecei a me interessar pela cultura gaucha quando criança fazendo parte de um grupo de danças. o tempo passou e por motivos de distancia ficou na lembrança os bon tempos de infancia. há tres anos comecei a entalhar e a brincar com madeira, fazendo alguns trabalhos diversificados e outros poucos relacionados a cultura gaucha. este ano resolvi adentrar na escultura de temas gauchos e minha esposa me falou vendo as duas esculturas que estou fazendo do gaucho tomando mate e do farrapo que poderia fazer uma escultura do laçador, cuja inspiração partiu do modelo Paixão Cortes ha tanto tempo atras. gostaria de saber onde posso encontrar o livro do Paixão ou se poderiam me mandar as fotos do laçador que ele disponibilizou no livro, para montar uma base de dados para fazer a escultura em madeira. meu email para contato oentalhador@gmail.com
    meu blog
    www.rhodenentalhes.blogspot.com

    ResponderExcluir